Melhores Viagens com crianças: Londres – Madame Tussauds

Vou ser bem sincera, eu estava com um pouco de preguiça de ir no Madame Tussauds. Já tinha ido e não tinha vontade de tirar foto com nenhuma estátua de cera específica.

Acontece que fiquei sabendo que tem uma atração nova lá que é a cara do Pedro (e dos meninos em geral): o Marvel Super Heroes 4D – um 3D dos superamigos. Para quem não sabe 4D é um 3D que ainda conta com feitos especiais reais como ventinho, água e outras intervenções na plateia na hora do filme. Eu já fui em alguns 4D na Disney (o Bug’s life no Animal Kingdom é bem bacana), e acho bem divertido. Este superou todos, o chão treme dá até pra sentir as garras do Volverine nas suas costas! Dura uns 15 minutos mas os meninos adoram!

O Marvel Super Heroes 4D é a última atração do museu. Quando chegamos, por alguns instantes cheguei a me apavorar, tinha MUITA gente se apinhando para tirar foto com Zac Efron (do High School Musical) e com Miles Sirus, a Luiza estava com vontade de fazer xixi e o Pedro ainda não tinha entrado no clima. Em poucos minutos ele entendeu a brincadeira e quiz tirar fotos com os jogadores de futebol, com a rainha, com o Van Gogh e com os Beatles. E a Luiza também (mesmo sem ter ideia de quem era a estátua rsrsrsrs).

O Madame Tussaud se transforma o tempo todo, além de ter sempre uma nova estátua, ao longo dos anos eles abrem novas atrações, como o London Spirit (um passeio pela Londres antiga, o Scream – Chamber of Horror, que não é aconselhável para crianças pequenas (não fomos) e agora o Marvel 4D, além de algumas intervenções e brincadeiras entre os personagens de cera.

No fim do museu cheguei a conclusão que valeu muito a pena ter ido e que é um ótimo programa para crianças.

A grande dica é COMPRE O INGRESSO COM ANTECEDÊNCIA PELA INTERNET: é mais barato e você não precisa ficar na fila, passa direto por ela e vai para uma entradinha VIP. Ninguém merece ficar em fila com criança pequena, né? #ficaadica

Madame Tussauds
Marylebone Road, London NW1 5LR

Para chega lá, a estação de metro mais próxima é a Baker Street, a mesma do Sherlok Holmes.

Nossos outros passeios em Londres:

O melhor de Londres na versão do Pedro

Ontem, conversando com o Pedro, um menino de frases curtas e poucas palavras, consegui saber o que ele mais gostou da nossa viagem para Londres.

Como eu não queria cair na fórmula: “O que você mais gostou?” Por que eu sabia que a resposta ia ser “Tudo”, tentei caminhos diferentes. Fiz um jogo de faz de conta… falei para ele imaginar que o melhor amigo dele está indo para Londres, e veio pedir dicas para ele. O que ele diria para o amigo? O que ele achava que era a coisa mais legal para fazer lá?

E ele respondeu: Diria para ele visistar minha tia.

(ahummmmmmmm, neste momento a Gi deve estar com o coração derrretendo).

Então a coisa mais legal de Londres é visitar a tia. Daí eu perguntei, e o que mais, qual a segunda dica que ele daria para o amigo.

E ele respondeu: “Diria para ele jogar futebol com o tio Dan no Jardim Secreto.”

(ahummmmmmm de novo)

Bom, nesta pelo menos tem uma dica super de insider. O Jardim Secreto é um lugarzinho perto da casa da Gi e do Dan, tão secreto que não cheguei a conhecer. Mas os dois foram lá, num final da tarde, jogar futebol. Conversando um pouco em inglês, um pouco em português. E, pelo jeito, ele gostou muito.

Depois desta, ai vai uma sessão family in London. As dicas dos outros programas, ficam para depois.

No dia do brunch (eleita a 2ª melhor refeição da viagem pelo P.)

Treinamento intensivo, no Alma, perto da casa deles

As vezes ela parece mais irmã, do que tia

Excursão no ônibus

PicNic em Greenwich

O Pedro tá tentando fazer chifrinho, mas a gente nem se abalou

london

Pra terminar, nós duas de novo

Paris - Jardin de Luxemburg

2 dias em Paris com crianças

Nossas férias começaram por Paris, foi uma breve passagem, mas foi super bem aproveitada. Passamos exatamente 48 horas na capital Francesa.

A viagem começou na pesquisa de hotéis, a maioria deles é pequeno e poucos tem espaço para acomodar uma família com filhos. Depois de pesquisar bastante para encontrar um lugar que tivesse espaço, fosse bem localizado e ainda por cima não fosse caro, encontrei o Royal Cardinal.

Chegamos no aeroporto Charles de Gaulle no final da tarde e pegamos o RER para chegar na cidade. Foi muito tranquilo pois já haviamos nos planejado para isto, calculando que conseguiríamos dar conta das malas+carrinho+crianças.

Deixamos as malas no quarto e fomos passear. Já eram 7 da noite, mas como é verão ainda teria sol por várias horas.

1. Quais de la Tournelle

Começamos o passeio caminhando pela borda do Sena, na Quais de la Tournelle, atravessamos a Pont de l’Archevêché e o Pedro ficou hipnotizado pelos cadeados que os caisais apaixonados deixam como jura de amor eterno.


Logo depois da ponte, entramos na Square Jean XXIII, o parque que fica ao redor da Notre Dame, continuamos caminhando pela margem do rio e acabamos encontramos um parquinho onde as crianças ficaram se divertindo um pouco.

2. Notre Dame

Em seguida chegamos na Notre Dame. Na frente da catedral havia muitos turistas, músicos, crianças correndo, um clima super gostoso.

Atravessamos a Pont Saint-Michel e voltamos para o Rive Gauché. Nossa intenção era jantar num restaurante que fica em Saint Germain de Prés. Naquela de só mais umas quadras, acabamos andando uns 20 minutos, nos perdendo um pouco mas pudemos curtir a cidade numa hora onde as calçadas estão cheias de mesinhas e pessoas animadas. Quando finalmente chegamos no endereço, uma surpresa: uma fila enooooooorme na porta!

3. Le Relais de L’Entrecôte

Antes de me desesperar fui conversar com uma pessoa que estava no comecinho da fila e perguntei há quanto tempo ele estava lá. Descobri que neste restaurante não havia como fazer reserva e que a fila, ao cotnrário do que parecia, andava rápido. Para minha (agradável surpresa) era verdade. Valeu MUITO a pena esperar. O sistema do restaurante é super prático (por isto a fila anda rápido): o cardápio só tem um prato, uma carne maravilhosa, acompanhada de uma salada com um molho muito gostoso e batata frita. Só. Precisa mais? Não mesmo. Eu por mim voltava lá sempre. As crianças adoraram, não tinha o que não gostar. A comida vem super rápido e você só precisa escolher o ponto da carne.

Le Relais de l’entrecôte
20, rue Saint-Benoît
 

Depois disto, pegamos o metro e em 5 minutos chegamos no hotel, prontos para dormir.

4. Torre Eiffel


No dia seguinte acordamos meio tarde por causa do fuso. Passamos numa boulanger, compramos baguetes, macarrons e bebidinhas e fomos conhecer a Tour Eiffel.

A fila estava ENOOOOORME, mas eu já etava preparada psicologicamente (e abastecida de comidas). Foi super bacana, o Pedro e a Luiza adoraram e tiramos muitas fotos. Lá em cima, ficamos mostrando a cidade, localiando nosso o hotel, Montmarte e o Centre Pompidou.

5. Rue Montergueil

Pegamos outro metro e fomos almoçar numa ruazinha que eu adoro e acho super charmosa, a Rue Montergueil. Nela há muitas opções de restaurantes, frutarias, chocolaterias e lojinhas de comidinhas sofisticadas. Não tivemos nenhum problema em conseguir uma refeição child-friendly mesmo fora do horário de almoço.

6. Museu George Pompidou

Depois de comer, fomos caminhando até o Pompidou, o museu estava quase fechando mas pudemos ir na exposição infantil (que é gratuita), numa instalação de fotos e ver o acervo do museu. Crianças e adultos aproveitaram muito.

A Luiza voltou para casa dormindo e eu e o Pedro acabamos comendo no restaurante que ficava em baixo do hotel.

6. Jardin des Tuileries e Louvre

Tentamos um late check out do hotel mas não conseguimos, então o jeito foi fechar as malas e sair para passear. Fomos direto para o Jardin des Tuileries.

Caminhamos da Place de La Concorde até o Louvre, com direito a correr atrás das pombas, fotos e brincadeiras.

O Pedro ficou encantado com a pirâmide de vidro na entrada do museu. A fila estava enorme e não havíamos planejado entrar. Estavamos tirando fotos e olhando a estrutura da pirâmide, quando nos viram com crianças e carrinhos, as portas se abriram e entramos. Não chegamos a visitar o museu, apenas atravessamos o salão, fomos até o outro lado onde fica a pirâmide invertida e saímos pela rua dos fundos.

Fomos caminhando pela rue de Rivoli, passamos na frente do Hotêl de Ville e voltamos para a região de Saint Germains de Prés/ Quartier Latin para comer. Escolhemos um restaurante simpático na Rue de La Harpe porque a Luiza estava com vontade de fazer xixi e estávamos com fome.

Voltamos para o hotel caminhando pela Boulevard Saint Germain, pegamos as malas e fomos para a Gare du Nord, de onde sai o trem para Londres. Nos arrependemos de não ter pego um taxi pois as bagagens haviam se multiplicado e nos atrapalhamos bastante com a troca de metrôs e os vagões lotados por causa das malas.

Foi pouco tempo, mas aproveitamos muito. Não vejo a hora de voltar : )

Férias de Julho com crianças

A esta altura do ano, faltando pouco mais de uma semana para as férias de julho, já era hora das férias estarem super acertadas. A partir de agora muitos hotéis estão lotados e os preços ficam cada vez mais salgados. Mas nem sempre é possível se programar com antencedência. Pensando em quem deixou para decidir na última hora, fiz uma seleção de algumas opções de viagens que testei e aprovei:

Rio de Janeiro

Fui em julho do ano passado e recomendo muito para esta época do ano porque, se estiver sol, dá para passear no Cristo Redentor, no Pão de Açúcar, no Jardim Botânico e ainda ir à praia. E se o tempo fechar ou esfriar há cinemas, teatros, shopping, planetário, museus e galerias. Ou seja, não faltam opções. Quando eu fui, fez tempo bom todos os dias, ainda assim acabei indo no cinema assistir ToyStory que tinha acabado de lançar. O post sobre esta viagem, com mais endereços de restaurantes e detalhes é este daqui.

Também tem um post bem bacana, da onde peguei várias dicas, no blog Viajando com Pimpolhos.

Florianópolis

Florianópolis é uma cidade com opções de praias para todos os gostos: badaladas, bucólicas, mansas, agitadas… Vou para lá com uma certa frequencia e não deixo de me surpreender. Muitos restaurantes gostosos espalhados pelos 4 cantos da ilha. E, além de praia e da Lagoa, alguns cantinhos super simpático (Nesta foto ai de cima o Pedro e a Luiza estão na Lagoa do Peri) ao lado de uma estrutura urbana para emergências.

Mais dicas aqui.

Beto Carrero World

Durante o mês de julho o parque Beto Carrero geralmente faz alguma promoção. Nos finais de semana o parque lota, mas durante a semana é possível passear tranquilamente e até repetir os brinquedos preferidos, exaustivamente. Já fomos 3 vezes, a mais recente foi em julho de 2012 e foi muito bacana!

Beach Park

Um destino para quem quer fugir do frio e ainda se divertir muito. Não conheço nenhuma criança que não gosta de brincar com água. O Beach Park é uma ótima opção para quem tem filhos em diferentes fases porque tem brinquedos para todas as idades. Fiz um post sobre minha ida para lá, aqui. Ano passado voltei, desta vez o Pedro tinha quase 8 anos e a Luiza 2, acho que aproveitamos ainda mais do que da primeira vez! Desta vez fiz até filminho e o post está bem completo, explicando a diferença entre o Acqua Resort e o Suites Resort.

Zoológico de GramadoSerra Gaúcha

Já para que prefere curtir o frio, Gramado e Canela são destinos perfeitos. Hotéis com lareira, restaurante com cafés coloniais e passeios super gostosos. Já fui muitas vezes (até em outras épocas do ano) e sempre me diverti. O Alpen Park é perfeito apra crianças um pouco maiores (veja o post aqui) e o Zoológico também é imperdível para quem estiver viajando em família. A Alexandra, do blog Destemperadinhos tem dicas super bacanas de lá.

Visconde de Mauá

Na Serra do Rio, a região de Visconde de Mauá é outra opção para quem quer curtir o frio. A natureza é exuberante, com cachoeiras e muitos restaurantes charmosos. Faz muito tempo que não vou, mas tenho lembranças muito bacanas de lá. A Chris, do Inventando com a Mamãe já fez mais de um post sobre feriados por lá.

Buenos Aires

Buenos Aires é uma cidade linda, cheia de programas legais e comida boa e está muito barata para brasileiros. Provavelmente mais barato do que muito destino nacional. Recomendo muito ir com as crianças e tomar muito sorvete de doce de leite e passear no Malba, um dos meus programas favoritos lá, com ou sem filhos.

Só é preciso ficar atenta aos documentos: crianças e adultos precisam ter documentos com fotos recentes para entrar na Argentina.

No livro Buenos Aires com Crianças a Fernanda Paraguassu do blog Buenos Aires para Ninõs dá dezenas de opções de programas e passeios para famílias.

Outros destinos que eu fui e recomendo para férias de julho:

Pantanal

Bonito

Pousada do Rio Quente

Cidades Históricas Mineiras (Tiradentes, Ouro Perto e Mariana, se possível com uma passadinha em Inhotim)

Sei que no Brasil existem muitas outras opções de praias e cidades de norte a Sul, mas fiz uma seleção que testei, aprovei e recomendo. Quem tiver outras ideias, fica livre para sugerir. O que importa é viajar e se divertir!

Mais destinos, neste post As Melhores Viagens com Crianças – Dicas

Momento jabá:

E quem não souber por onde começar, ou quiser mais dicas sobre o planejamento, a escolha do destino, arrumação da mala, corre para uma livraria atrás do livro Crianças a Bordo – Como Viajar com Seus filhos sem Enlouquecer.

Curitiba com crianças – dicas do fim de semana

O Pantagruel é uma excelente opção de restaurante para dias bonitos! As mesas, a decoração, o ambiente não tem nada demais, mas as mesas no gramado são uma delícia! Eu já era frequentadora assídua mesmo antes de ter filhos, mas depois que o Pedro ansceu o restaurante ganha outra dimensão porque lá a gente não precisa se preocupar em entreter as crianças enquanto a comida não chega, eles ficam brincando nas árvores, correndo pelo quinta, como se estivessem em casa.

Embora já tenha ido muito com o Pedro, fazia tempo que eu não ia, aliás, acho que a última vez que eu fui, a Luiza mal andava, porque não tenho a lembrança de ela correndo pela grama. O almoço foi uma delícia, a feijoada deles é ótima, mas desta vez acabamos pedindo um peixinho com molho de camarão.

De lá resolvemos dar uma passada no Museu Oscar Niemeyer (MON) para ver a exposição do Botero. Fiquei muito impressionada com a reaçnao da Luiza aos quadros. Aliás fiquei impressonada com a mostra em si. Eu já tinha visto muitos Boteros, quadros e esculturas, mas nunca tão triste. Esta exposição, chamada Dores Da Colômbia, foi crianda para chamar a atenção da violência contra o povo na Colômbia consequência de anos de ação dos grupos guerrilheiros e da ação militar. A Luiza fazia perguntas (super pertinentes) como:

– Por que ele tá trsite mamãe?

– Ele vai corta o homem mamãe?

E ficava muito tempo olhando para cada quadro

O Pedro também aproveitou muito. Depois fomos até dentro do olho onde havia uma espécie de garganta-puf-interativo e ficamos lá brincando.

O museu empresta carrinhos de bebê, acabei pegando um para a Luiza, assim, quando ela cansava, ela ia para o carrinho.